My favorite things

Loading...

quinta-feira, abril 10

As minhas geografias afectivas - o jardim do Campo Santana



Será todos os dias surpreendente. Ainda há velhos nos bancos, fazendo a batota possível. Têm nas mãos trémulas cartas já desgastadas e nos bolsos moedas e notas para gastar.
Ainda há patos e ganços sacudindo das penas as águas sujas do lago.
Ainda há inscrições rememorativas dos combatentes de Portugal.
Tais heróis liberais que viram findar o Portugal de D. Miguel, mortos na praça que lhes foi fatal.
Ainda há a mesma esplanada que, sempre decadente, parece não querer mudar.
Ao longe o castelo, sobranceiro, ainda nos continua a espreitar.
Do outro lado, o Torel, o jardim mais bonito de Lisboa, espraia-se até à Baixa deixando ver do alto como a cidade pertence, de facto, às suas sete colinas.

Hoje só por lá passei a correr ...

2 comentários:

Mariposa Roja disse...

O Campo de Santa Ana, porque ali também havia o convento, é até hoje um lugar de poder e de prática de cultos.

Está cheio de vida, apesar de sucessivas feridas urbanísticas: galos que correm atrás de outros, gansos em procissão, caudas de pavões curiosos, e muitas espécies diferentes de árvores, como as paineiras, as casuarinas, o magnífico Pinheiro Manso, etc...
Ora aqui temos uma afinidade geográfica.

susana

Maria Filomena Barata disse...

Que bom Mariposa, espero que haja mais.

Lily Allen

Loading...

Que as ragas tragam ao dia o que a noite lhe roubou

Loading...
Loading...
Loading...

Bom Domingo

Loading...

oiça a Buika ... oiça bem

Loading...

e oiça também a Lila Downs

Loading...

i want you, but i don´t need you ...

Loading...